Morri de pena. Hoje tive que reprovar uma de minhas alunas de Projetos de Design Gráfico. Tive vontade de chorar – e ela não ficou só na vontade, chorou mesmo. Isto aconteceu por causa de um trabalho que foi confiado a esta turma: duas equipes iriam criar revistas de oito páginas sobre Design. A postagem do trabalho ficou por conta de um dos membros da equipe dela, que não postou o trabalho e por isso, não pude dar nota e não pude aprová-la. Seria injusta com os que me entregaram.

Enfim, essa historinha me fez pensar. A minha aluna disse que tinha confiado na palavra da amiga, ela disse que estava tudo certo, que iria postar o trabalho que toda a equipe tinha feito, que estava tudo pronto.

Quando se trata de produção gráfica, não dá pra confiar nos outros. Não dá pra confiar que o birô vai saber o que fazer, que o impressor conhece você e o seu método de trabalho, que a máquina não vai quebrar, que o computador não vai “dar pau”, que a telefônica vai manter o Speedy funcionando, que o prazo é suficiente…

Acompanhar o andamento do seu trabalho é fundamental. Há aqueles que simplesmente esquecem que fizeram um trabalho depois que este passa para a mão de outros. Pensam: “Ah, já fiz a minha parte, agora é com você”. Muitos esquecem que se algo der errado, é o seu nome que vai estar lá, aquele trabalho vai para seu portifólio e depois de impresso, não dá mais pra “desimprimir”.

Acompanhe seu trabalho, vá até o birô, vá até a gráfica, tire provas de prelo, acompanhe o acabamento, conheça os profissionais que estão cuidando do seu trabalho. Conhecer é poder parar uma calamidade à tempo, é evitar uma tragédia com o seu material e o seu nome.

É dizer mais ou menos que não adianta rezar e esperar que tudo dê certo enquanto você espera com a mão no queixo.

Se minha aluna tivesse acompanhado a postagem do trabalho, se tivesse ligado para saber como estava o andamento das coisas, a história seria diferente e este post não estaria aqui, pelo menos por enquanto.