Arquivos para categoria: serviços

Ontem a noite decidi, enfim, testar o Photoshop pela Internet. Lá no Photoshop Express. O recurso é, no mínimo, interessante. Você pode fazer ajustes de matiz/saturação, contraste, nitidez básica, desfoque básico, remoção de olhos vermelhos e até distorções.

Digamos que você precise de um pequeno ajuste, tenha acesso a Internet, mas não tenha acesso ao Photoshop no momento, é uma boa pedida. Tudo o que você precisa fazer é cadastrar uma conta, para quem faz download de aplicativos Beta, a conta cadastrada já serve, é preciso permitir também que a Adobe use suas fotos (sim, as fotos continuam sendo suas, mas a Adobe poderá usá-las na divulgação do express ou outros meios, faz parte dos termos de uso), fazer upload da foto que você vai usar e pronto.

É fácil de usar, a interface é interativa e vale um destaque especial para o efeito Pop color, que substitui uma cor da imagem, muito legal (e poderia ser implementado facinho assim no próximo Photoshop). Sim, também é preciso saber um pouco de inglês, porém, nada de outro mundo.

Para os mais animados, é só pra lembrar: Não se compara, nem de longe, ao Photoshop em sua versão completa, não trabalha textos, nem camadas, por exemplo. A descrição mais correta para ele seria um álbum melhorado, onde você pode fazer algumas edições, ainda assim é viciante.

Legal mesmo é experimentar. Pra quem quiser, pode dar uma olhada no Adobe Labs ou clicar no link: www.photoshopexpress.com .

Morri de pena. Hoje tive que reprovar uma de minhas alunas de Projetos de Design Gráfico. Tive vontade de chorar – e ela não ficou só na vontade, chorou mesmo. Isto aconteceu por causa de um trabalho que foi confiado a esta turma: duas equipes iriam criar revistas de oito páginas sobre Design. A postagem do trabalho ficou por conta de um dos membros da equipe dela, que não postou o trabalho e por isso, não pude dar nota e não pude aprová-la. Seria injusta com os que me entregaram.

Enfim, essa historinha me fez pensar. A minha aluna disse que tinha confiado na palavra da amiga, ela disse que estava tudo certo, que iria postar o trabalho que toda a equipe tinha feito, que estava tudo pronto.

Quando se trata de produção gráfica, não dá pra confiar nos outros. Não dá pra confiar que o birô vai saber o que fazer, que o impressor conhece você e o seu método de trabalho, que a máquina não vai quebrar, que o computador não vai “dar pau”, que a telefônica vai manter o Speedy funcionando, que o prazo é suficiente…

Acompanhar o andamento do seu trabalho é fundamental. Há aqueles que simplesmente esquecem que fizeram um trabalho depois que este passa para a mão de outros. Pensam: “Ah, já fiz a minha parte, agora é com você”. Muitos esquecem que se algo der errado, é o seu nome que vai estar lá, aquele trabalho vai para seu portifólio e depois de impresso, não dá mais pra “desimprimir”.

Acompanhe seu trabalho, vá até o birô, vá até a gráfica, tire provas de prelo, acompanhe o acabamento, conheça os profissionais que estão cuidando do seu trabalho. Conhecer é poder parar uma calamidade à tempo, é evitar uma tragédia com o seu material e o seu nome.

É dizer mais ou menos que não adianta rezar e esperar que tudo dê certo enquanto você espera com a mão no queixo.

Se minha aluna tivesse acompanhado a postagem do trabalho, se tivesse ligado para saber como estava o andamento das coisas, a história seria diferente e este post não estaria aqui, pelo menos por enquanto.

%d blogueiros gostam disto: