Arquivos para posts com tag: Software

Daqui: http://www.doctordisruption.com/wp-content/uploads/2011/01/design.jpg

Anúncios

Sabe aquela história de que, antes de sentar no computador e começar a desenhar algo é preciso fazer um rascunho, que  o seu professor falava? É  a mais pura verdade. Nada ajuda mais a fazer um layout do que um bom rascunho. Já escutei quem dissesse: “Ah, mas eu não sei desenhar à mão…”

Foi pensando nisso que uns caras geniais criaram o Balsamiq. É uma aplicaçãozinha despretensiosa em Flex que permite criar uns rascunhos geniais, como esse de um aplicativo para IPhone aí embaixo.

Tem menus, botões, accordeons, links… muito fácil e tudo o que você precisa fazer é arrastar para a tela. Depois de pronto, antes de fazer o layout definitivo você faz os ajustes necessários.

Vale a pena experimentar. Genial!

Primeiro, justificando a ausência de posts novos durante tanto tempo: Muitas pessoas importantes estiveram ausentes  da minha vida desde o último post. Isso dificulta todo o processo de pesquisa, escrita e inspiração. Agradeço pela volta da maioria delas à minha vida diariamente.
Agora vamos ao que interessa. Você está em algum lugar que não seja a sua máquina, sem o photoshop e precisa de uma ferramenta eficiente, que trabalhe com camadas, filtros, transformação livre e ferramentas variadas para desenhar e pintar. O que você faz? Você acessa o Sumo Paint!



Eu já falei aqui sobre a ferramenta bem intencionada e eficiente ao que se propõe: o Photoshop Express da Adobe. Mas nenhuma ferramenta online se propõe a utilizar o RIA para tratamento de imagens de modo tão eficiente quanto o Sumo Paint.
O cara trabalha camadas, vários tipos de pincéis, filtros (3D, sharpen, blur…), ajustes de imagens, a área de trabalho é bem semelhante ao aplicativo desktop e muito intuitiva… parece que você está realmente usando o Photoshop numa versão mais antiga. A ferramenta é leve e, na minha opinião traz recursos que a Adobe bem que poderia disponibilizar na sua versão express.
Você pode experimentar a ferramenta como convidado e postar na galeria com um cadastro de usuário simples.
Vale a pena testar.

Eu já devo ter falado de Gestalt aqui em algum lugar, mas como estou com preguiça pós-trabalho, nem vou procurar no blog.

Quem conhece um pouquinho de design ou psicologia (ou das duas coisas)  deve ter ouvido falar nas leis dessa escola (não escola física e sim o conjunto de paradigmas que forma uma teoria e blá, blá, blá) que trata da percepção humana e facilita a compreensão das idéias. As principais leis da Gestalt podem ser assim resumidamente definidas:

Proximidade: vários elementos perto uns dos outros parecem fazer parte de um único elemento;

Similaridade: elementos semelhantes agrupam-se a fim de formar unidade. Essa semelhança pode dar-se por forma, tamanho, cor…;

Clausura: é o que “fecha” um ciclo entre vários objetos a fim de atingir a unidade e fazer com que os mesmos pareçam conectados, peças de um objeto só;

Simplicidade ou pregnância: quanto mais simples, mais facilmente o resultado é assimilado (olha o que o John Maeda fala fazendo sentido…) e;

Continuidade: define a ordem de leitura não deixando que ninguém fique “perdido” ao olhar para o objeto.

Sim, mas o que esse blá, blá, blá tem a ver com sistemas? Simples. Construa sistemas onde o usuário pode encontrar-se dentro dele. Agrupe opções e mostre que todas as telas fazem parte de um mesmo sistema e que diversos sistemas fazem parte de uma mesma empresa. Digo isso porque tenho visto sistemas web com funcionalidades muito legais mas que deixam a desejar no quesito usabilidade (aqui diretamente ligado a Gestalt aplicada), às vezes softwares de uma mesma empresa são completamente loucos e diferentes uns dos outros.

Quer um exemplo? Pegue três aparelhos de celular da motorola de modelos diferentes e veja se consegue usar todos eles facilmente. Ninguém consegue. São softwares difíceis e que às vezes não tem muito a ver uns com os outros. Tudo o que eles conseguem ter semelhantes (e olhe lá) é o acesso ao menu e mais nada.

Quando pensar em desenho de sistemas, pelo-amor-de-deus, pense que tem um usuário do outro lado que usa Gestalt inconscientemente para manuseá-lo.

Cuidado que o o Flash vem aí!!!

Anunciado no evento Adobe Max 2009 o beta do Flash CS5 até o fim deste ano.

Compatível para desenvolvimento de aplicações para IPhone, trabalho aprimorado com Framework, XML baseado em FLA, integração com Flash Builder e aumento da produtividade com o Action3.

Todo mundo de olho no AdobeLabs.

Para saber mais sobre o Flash CS5 clique aqui.

Para saber mais sobre o Adobe Max, clique aqui.

iseminar

O melhor evento de Web e Design do nordeste já tem data marcada e as inscrições estão abertas. É o ISeminar 2009.

Estão confirmadas presenças importantes como a dos webdesigners Neto Leal (coordenador da Cubo.cc), Ricardo Piologo  (Mundo Canibal) e Irving Suna (agência Fishy).

A novidade ruim é que este é o primeiro ano pago do evento e as incrições até o dia 05/10 custam R$ 25. Daí crescem para R$ 30 e R$40 com a aproximação do evento. Apesar disso vale muito a pena pagar porque o evento é realmente legal.

Se for, a gente se encontra lá.

Para se inscrever é só acessar http://www.iseminar.com.br/v2009/

splash-107

Pra quem não acompanhou a história do melhor software de tratamento de imagens do mundo porque nasceu depois de 1988, quem quer um pouco de nostalgia ou saudosismo ou quem nunca entrou nada tão curioso precisa conferir a história do Photoshop que está disponível no site Hongkiat.com. É muito interessante ver a evolução da caixa de ferramentas, dos splashs e dos ícones. Pra quem quiser ver a evolução de 1988 até agora, acesse http://www.hongkiat.com/blog/evolution-of-photoshop/ .

catalyst

Quando você pensa que a Adobe não tem mais nada de interessante pra lançar e que o máximo que vai acontecer é aprimorar os produtos atuais com um filtro aqui, um recurso ali, você é, incrivelmente, surpreendido. Foi o que aconteceu comigo esta semana depois de testar o Adobe Flash Catalyst, lançado no Adobe Max 2008/2009, e disponível em sua versão Beta desde o dia 1º de junho deste ano no Adobe Labs para teste junto com o Flash Builder 4 (Antigo Flex Builder) e Flex 4 SDK.

Pra mim, que estou desenvolvendo design de telas e ícones pra sistemas baseados em Flex e Java, não poderia haver nada melhor. Imagine desenhar uma simples telinha em Illustrator CS4 (Photoshop ou Fireworks, se preferir) e depois transformar tudo em componentes – textinput, botões, rolagens verticais e horizontais entre outros – com um simples clique no botão direito. Tudo com comportamento, funcionando. Simples como salvar um arquivo e sem digitar uma linha de código! Sem declarar uma classe! Nada, nem um ponto e vírgula. Tudo continua editável e você pode atribuir efeitos básicos disponíveis no Flex.

Atribuir foco, sentido do foco e outras coisas que hoje te obrigariam a entrar no Eclipse e vasculhar como um desesperado estão agora ao alcance de um clique com o botão direito numa interface mais simples do que a do Wordpad do Windows.

Você pode fazer protótipos de tela que funcionam em AIR ou SWF e mostrar para o desenvolvedor de uma forma que ele compreenda exatamente o que foi pensado, ele pode aproveitar os códigos gerados pelo Catalyst e somente incrementar com o Flash Builder 4. O fluxo de trabalho do desenvolvimento é imensamente melhorado… sem falar na integração Designer-Desenvolvedor, que de certa forma passarão a falar uma mesma língua, passando a se odiar menos (pelo menos em teoria, porque eu me dou bem demais com meus amiguinhos desenvolvedores – Os Caras).

O Flash Catalyst está disponível na versão Beta para Windows e Mac e, embora a versão Beta não permita grandes ajustes visuais em alguns componentes, mas já dá pra ver como vai ser prático desenvolver telas e protótipos com tanta integração. O trabalho para web e aplicações ricas para desktop só saiu ganhando. Ponto pra Adobe, mais uma vez.

 

Ah! Deixa eu fazer propaganda de graça de um evento muito legal que vai acontecer em Recife, no dia 8 de novembro de 2008: O Iseminar. Promovido pela Imedia, autorizada da Adobe no Nordeste, o evento, voltado para Web e Design sempre conta com participações especiais, como no ano passado, que teve o Maurício Ricardo do Charges.com como convidado.

Este ano com o lançamento da CS4, deve ter muitas novidades. Um dos convidados é um cara super fera:  Neto Leal da agência Gringos, citada na revista online de fotografia e ilustração ideafixa.

O evento é gratuito, basta se inscrever no site. Já aconteceu em diversos estados do Brasil e já é contado como um dos mais importantes da área no país.

E todo mundo fala de novidades e novidades sobre os seus softwares preferidos que estarão disponíveis em versão para PC a partir de outubro. Eu vou falar do meu: InDesign.

Imagine agora como vai ser interessante criar arquivos que possam ter conteúdos Flash Player interativos! Comprovação de problemas de impressão em tempo real, rotação da interface sem rotação física do monitor para documentos verticais, referência  cruzada, paleta vínculos com miniaturas… perco o fôlego!

Eu sei que já era previsto com o lançamento do Acrobat 9 e a expansão do AIR, mas preparar esse tipo de publicação no InDesign me surpreendeu para melhor. Eu que sempre achei o Flash lindo, o AIR uma ótima idéia, o PDF a melhor invenção no que se refere a formato de arquivos dos últimos tempos e o InDesign a ferramenta mais incrível para trabalho de publicações off-line.

Simplesmente lindo (aqui incluo as embalagens muito bonitas).

Só pode ser sonho poder integrar tudo isso. Se for, espero não acordar. Mais uma vez, ponto pra Adobe.

www.adobe.com.br

%d blogueiros gostam disto: